2011/06/28

Depois do sol...






Fez-se noite com tal mistério,

Tão sem rumor, tão devagar,
Que o crepúsculo é como um luar
Iluminando um cemitério . . .

Tudo imóvel . . . Serenidades . . .

Que tristeza, nos sonhos meus!
E quanto choro e quanto adeus
Neste mar de infelicidades!

Oh! Paisagens minhas de antanho . . .

Velhas, velhas . . . Nem vivem mais . . .
— As nuvens passam desiguais,
Com sonolência de rebanho . . .

Seres e coisas vão-se embora . . .

E, na auréola triste do luar,
Anda a lua, tão devagar,
Que parece Nossa Senhora


Pelos silêncios a sonhar . . .            (Cecília Meireles)

9 comentários:

Vivian disse...

Bom dia, querida amiga!!

Nossa, belíssima esta poesia da Cecília!!Não conhecia!!
Adorei a imagem que escolheste!!
Um post perfeito!!Tudo bem, por aí?Espero que sim.Beijos pra ti amiga!!

QUIM disse...

esse texto da Cecília é muito forte...me faz reflectir tanto...bom dia querida..bjs

Sαmyrα Almeidα disse...

Que liiindo amiga!

Saudadoonas de vc flor.


Bjaum^^

Iram M. disse...

Não importa o tempo que eu passo sem vir aqui, quando eu venho tem sempre coisas lindas de se ver, de ler... Ainda estou com vc. Não te abandonei não. viu!
Beijos

Aleatoriamente disse...

Um poema intenso.
Adoro os textos dessa autora.
Belo amiga.

Beijinho

ღ Sensitivity ღ disse...

Adoro os poemas da Cecília. Lindo poema. Beijinhos.

Flor de Lótus disse...

Lindos versos!
A noite vem com seus mistérios e encantos.
Beijosss

aldrey disse...

Lindo poema de Cecilia,,,bjs

Pelos caminhos da vida. disse...

Gde Cecília.

Obrigada pela sua companhia.

Ótimo domingo.

beijooo.